Quinta-feira, 21 de Maio de 2009

O TEMPO QUE NOS RESTA, NA CARNE

I Pedro 4:1-8                                                 I Pedro 4:2

 

                    Que tempo nos restará, ainda, na carne? Muito? Pouco? Bom ? Mau? De paz ou de tormenta?

 

                    Não sabemos, ninguém sabe. De um momento para o outro Jesus pode voltar e levar os Seus para Si mesmo, onde ficaremos para sempre (I Tessalonicenses 4:13), ou, então, a morte, na sua passagem inexorável, nos levará consigo.

 

                    Quando? Talvez mais cedo do que nós esperamos, por isso, estejamos apercebidos e preparados, porque o tempo que nos resta na carne pode já ser pouco. Pedro exorta-nos no sentido de deixarmos as concupiscências do homem e  seguirmos a vontade de Deus - adorando-O na beleza da Sua santidade; amando-O acima de todas as coisas; amando e servindo o nosso próximo.

 

                      Diz ele (Pedro) também: - dissoluções, guerras, borrachices, glutonarias, bebedices, abomináveis idolatrias, devassidão, mentira, avareza, ladroíce, maledicência, etc., são coisas que não ficam bem naqueles que foram lavados e purificados pela aplicação do sangue de Cristo. Esses, são de cima e devem buscar as coisas que são de cima, como ensina Paulo (Colossenses 3:1-3).

 

                      "Não vivais mais segundo as paixões dos homens, mas segundo a vontade de Deus" (I Pedro 4:2) e Ele vos concederá as armas para vencerdes no dia mau.

 

                      O tempo que nos resta é bem pouco; aproveitemo-lo para fazer as obras de Deus, resistindo ao mal e apegando-nos ao bem.

 

publicado por archote às 08:27

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. PARE, MEDITE E ORE

. PARE, MEDITE E ORE

. PARE, MEDITE E ORE

. PARE, MEDITE E ORE

. PARE, MEDITE E ORE

. PARE, MEDITE E ORE

. PARE, MEDITE E ORE

. PARE, MEDITE E ORE

. PARE, MEDITE E ORE

. PARE, MEDITE E ORE

.arquivos

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

blogs SAPO

.subscrever feeds